Páginas

sábado, 8 de dezembro de 2012

Tenho uma novidade pra você: Eu tenho um coração.

Posso não ter cabelo da moda, posso não ser o príncipe dos seus sonhos, posso não ser o estereotipo perfeito, posso parecer tudo de ruim.
Posso não ter olhos azuis, posso não ter o corpo ideal, posso não ter o sorriso mais lindo do mundo, posso não ser o cara mais inteligente, posso não ser merecedor do seu amor, posso não ter feito você feliz.
Posso ser grudento às vezes, posso exigir demais sua presença, posso ser vacilão em alguns momentos, mesmo que eu não saiba identificá-los.
Eu dei ouvido, dei amor, dei moral, te coloquei lá em cima, pra fazer você saber que tinha todos os direitos comigo.
Deixei você fazer o nosso tempo porque entendia seus motivos, suas obrigações. Me identifiquei.
Não sei o que eu fiz de errado, não sei se falaram algo de mim, não sei se você não quis mais, se arrependeu, se cansou...
É um monte de não sei. Tudo o que eu pedia era que me falasse os pontos que não estava confortável. Foi tudo o que eu pedi.
Minhas palavras talvez não tenham surtido efeito, talvez eu tenha sido indelicado em algum momento, talvez eu não tenha te compreendido, talvez eu... talvez eu só tenha alimentado a minha ilusão.
Talvez eu tenha sido só mais um lance. Se for isso, é uma pena, porque é muito lindo o que eu cultivo no coração pra alguém tratar apenas como um lixo.
NUNCA fiquei com tantas dúvidas desde que comecei a namorar. Por um lado, agora tenho bilhões de perguntas pra responder e tentar entender o que eu fiz. Por outro lado, o triste lado da história, não tenho mais vontade de sair.
E só de pensar que daqui a alguns dias é meu aniversário, não consigo parar de relacionar essa tristeza a um presente de grego.
Castigo? Talvez.
Não sou santo. Mas se isso for critério divino pra castigar alguém, 99% da população mundial tá condenada.
Amor? Claro que ainda tem. E muito.
Mas o mais triste é saber que o amor não tem valor pra algumas pessoas.
Sei lá, não sou rico também, mas isso é algo que não escondo, então acredito que o arrependimento não tenha sido esse.
Curto rock, blues, e muitas coisas que tô sem cabeça pra lembrar, sou louco pelo Charlie Brown Jr, mas acho que também não é isso, porque eu não critico a opção musical de ninguém...
Realmente, não sei o que eu fiz!
Agora, vou aguardar alguém dizer que homem é tudo igual. É, vou esperar alguém me comparar com outra pessoa.
Posso não ter nada, posso não ser nada, posso não significar NADA.
Mas tenho uma novidade pra você:
Eu tenho um coração!
E dói, muito, quando alguém pede pra vê-lo e habitá-lo, a gente mostra ele pra alguém e esse alguém vira as costas e o despreza!
Se eu disse que amo, é porque amo muito!
Te incluí nos meus horários, na minha vida. Só queria um tempo pra gente.
Mas, pelo visto, só eu quem quis.
Obrigado pelos momentos.
Espero que não façam com você o que você fez comigo...
beijinho no coração, iguais aos que eu te dava!
:(


2 comentários:

  1. Ameei o textoo *--*

    Vou ler todos... lindo demaiss!

    ResponderExcluir
  2. Poxa, muito obrigado, Carlinha.
    Espero que goste dos outros também.
    :D

    ResponderExcluir