Páginas

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Solidão: motivos, efeitos, mas nunca a cura!

Tempos modernos, cidades modernas e cada vez maiores, tecnologia no auge e...pessoas mais tristes, que configuram um cenário muito contraditório!
Quando tudo está propício a ser perfeito, algo vem pra nos desiludir.
Com o mundo cada vez mais cheio de pessoas, cada vez mais rodeado de riquezas, bens materiais cada vez mais atraentes, a solidão continua sendo uma incógnita. Em meio a tantas pessoas -tantas que as vezes nos falta até ar- por que e como alguém se sente solitário?
Por que viver isolado mesmo estando a poucos metros de outras pessoas?
A resposta talvez esteja no novo padrão de vida atual das pessoas. Com tantos tendo muito, como a gente pode confiar um no outro, se o objetivo principal se tornou "ter sempre mais" ?
Como posso ter certeza que o outro não está interessado em retirar o que é meu ?
As pessoas estão se tornando reféns do "Ter" e, consequentemente, estão deixando de "Ser". Ser felizes, companheiras, unidas e se tornando cada vez mais... Solitárias!
É como se fosse um ciclo vicioso, onde o futuro se torna incerto ou, pelo menos, a certeza que se tem é de que as pessoas estão deixando de lado simples costumes rotineiros e agradáveis como dar Bom Dia, até mesmo Oi e Tchau e tudo isso apenas para cuidar daquilo que ganharam, às vezes com muito suor, às vezes sem grandes lutas, ou seja, para perpetuar seu legado econômico e esquecendo-se do legado cultural familiar!
Na minha opinião, a solidão é decorrente do ego exacerbado das pessoas de hoje. Quem é egoísta não ama, não deixa que o amem, não projeta sua felicidade em nada nem em ninguém, quer apenas ter para si e acaba vivendo sozinho com sua TV de 60 polegadas, com seu carro do ano seguinte, com sua mansão, mas... Sem seus Filhos, sem sua esposa, sem AMOR, ou seja, SOLITÁRIO.
Uma forma de acabar ou pelo menos diminuir a solidão seria pensar mas "nos que estão ao nosso redor" do que "naquilo que está ao nosso redor". E isso aconteceria de pessoa por pessoa, trabalhando juntas.
Já seria um avanço enorme!

Nenhum comentário:

Postar um comentário